Uma questão de forma!

Já imaginou o que seria dar uma medicação para uma criança se só existissem os comprimidos? Ou ainda injeções? Sem dúvida seria uma tarefa bem mais complicada do que já é com gotinhas ou um xarope. Se bem docinho ainda vai, senão… é choro na certa!

Além de comprimidos, injeções, gotinhas e xaropes, os medicamentos podem se apresentar sob as mais diversas maneiras: cápsulas, pós e granulados, soluções (nasais, colírios, bochechos, gargarejos e injetáveis), supositórios, pomadas, aerossóis, entre outras. Além de proteger as substâncias químicas de que são feitos, são produzidos assim para facilitar a administração, isto é, a aplicação ou o uso pelo paciente.

Também são diversas as formas pelas quais os medicamentos entram em contato com o organismo. As principais vias são: oral (boca), retal (ânus), parenteral (injetável), dermatológica (pele), nasal (nariz), oftálmica (olhos) e sublingual (embaixo da língua). Cada uma delas é indicada para uma situação específica, com suas vantagens e desvantagens. É por isso que uma injeção, apesar de incômoda, pode apresentar resultados mais rápidos, pois a substância é administrada diretamente na corrente sanguínea do paciente.

Adultos e idosos também podem encontrar dificuldades na hora de ingerir comprimidos, motivo pelo qual é sempre importante a comunicação com o médico na hora da prescrição. Caso perceba que haverá alguma dificuldade, pergunte se o mesmo medicamento não possui uma outra maneira de ser administrado.

E não se esqueça de que, dependendo da forma, cada medicamento tem um jeito certo de ser armazenado.

Como está a organização da sua farmacinha? Seus medicamentos estão armazenados corretamente? MediList pode te ajudar nesta tarefa!

Deixe um comentário

Publicidade